Grupo de Apoio aos Pacientes Reumáticos no Brasil

Fisioterapia no tratamento do Lúpus: é possível diminuir o sofrimento

0

O lúpus eritematoso sistêmico (LES ou lúpus) é uma doença inflamatória crônica, autoimune que pode afetar quase todos os órgãos do corpo. Na maioria das vezes se desenvolve em mulheres durante seus anos férteis. Atualmente, não há cura para o lúpus, mas o tratamento pode reduzir os sintomas. Estes ocorrem com freqüência em um ciclo de crises e remissões. Os principais sintomas do lúpus são dores nas articulações, rigidez articular e fadiga, muitas vezes levam as pessoas a reduzir suas atividades diárias ou deixar de exercê-las por completo, o que pode piorar os sintomas.

Um programa de exercícios supervisionado, que englobe exercícios suaves de flexibilidade, força e resistência poderá beneficiar muitos pacientes que sofrem com o lúpus, especialmente quando combinada com modalidades de calor.

tratamento-do-lpus_-tt-width-489-height-649-bgcolor-FFFFFF

O tratamento do lúpus pode proporcionar:

• Melhorar a amplitude do movimento e reduzir a rigidez articular;

• Fortalecer os tendões, ligamentos e músculos para estabilizar as articulações;

• Ajudar a manter os ossos fortes e evitar a osteoporose, muitas vezes causada por medicamentos comumente prescritos para tratar a inflamação causada pelo lúpus;

• Melhorar ou manter a saúde cardíaca, pois a doença cardíaca é a principal causa de morte em pessoas com lúpus;

• Reduzir a tendência para ganhar peso, porque os quilos extras colocam mais pressão sobre as articulações inflamadas;

• Melhorar os padrões de sono, humor e visão geral sobre a vida pela liberação de endorfinas, o que diminui também o estresse;

O fisioterapeuta pode incluir também no tratamento do Lúpus:

• Estimulação elétrica;

• Compressas quentes ou compressas frias;

• Ultrassom para aliviar a dor e reduzir o inchaço;

• Massagem, que pode aliviar a dor e melhorar a circulação e a flexibilidade.

Lembrando: o tratamento de um paciente que possui lúpus deve ser abordado de forma individual, e o paciente descobrirá que ele poderá realizar exercícios físicos. Os fisioterapeutas podem projetar um programa de exercícios adequados para o seu nível de aptidão e dor. Quando os sintomas aumentarem, podemos ajudá-lo a se engajar na quantidade correta de exercício e sugerir alternativas para os exercícios de resistência e os exercícios de fortalecimento. A boa notícia é que, apesar dos muitos altos e baixos desta doença, a intervenção precoce pode mantê-lo na baía e fazer a condição mais gerenciável.

Não se esqueça: o objetivo geral do fisioterapeuta é restaurar, manter e promover a aptidão músculo-esquelético e de saúde.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: