Grupo de Apoio aos Pacientes Reumáticos no Brasil

Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) lança APP Repare, com informações e tutoriais de exercícios físicos para pacientes de espondiloartrites

0

•  Atividade física é fundamental no tratamento de espondiloartrites,  grupo de doenças do tecido conjuntivo que afetam articulações e podem apresentar sintomas como dor nas costas (espondilite anquilosante), inflamação dos olhos (uveíte), distúrbios digestivos e erupções cutâneas. Doenças crônicas, as espondiloartrites, se não tratadas adequadamente, podem levar à perda da mobilidade e incapacidade física.
• REPARE acompanha o paciente no seu dia a dia, com vídeos de exercícios físicos e seções para registos de sinais e sintomas, alertas para tomada de medicamentos, consultas médicas e respostas a dúvidas  frequentes
• O nome REPARE remete ao verbo reparar, tanto como “reabilitar”  quanto “observar”,  “prestar atenção.”

A Sociedade Brasileira de Reumatologia apresenta REPARE, aplicativo que tem como objetivo contribuir para conscientização e adesão do paciente ao tratamento das espondiloartrites, no qual a prática de exercícios físicos é fundamental  para seu bem estar. Desenvolvido pelas Comissões de Espondiloartrites e Medicina Física de Reabilitação da SBR,  REPARE é de fácil navegação e o menu inclui  21 vídeos com exercícios  de alongamento e fisioterapia,  além de agenda para registro de consultas, tomada de medicamentos, de intensidade de sintomas  e respostas a perguntas frequentes.

“A adesão do paciente ao tratamento de doenças crônicas, como as espondiloartrites, é um problema mundial. O app contribui para que o paciente se perceba  como um agente ativo de seu tratamento e bem estar, além de poder contar com uma fonte confiável de informações sobre a doença e seus sintomas”, afirma o reumatologista Marcelo Pinheiro, presidente da Comissão de Espondiloartrites da SBR.

A seção Movimente-se apresenta  vídeos com exercícios para alongamentos globais e para fortalecimento de braços, costas,  tronco, pernas. “A atividade física é fundamental no tratamento de espondiloartrites, contribuindo para reabilitar e manter a mobilidade do paciente”, diz o reumatologista  Fábio Jennings, Coordenador da Comissão de Medicina Física e Reabilitação da SBR. “Os exercícios são fáceis de serem executados e podem ser realizados a qualquer hora”.

As espondiloartrites afetam principalmente adultos abaixo dos 45 anos de idade e são doenças crônicas. A causa ainda é desconhecida;  com tratamento adequado, o paciente se mantém produtivo e com qualidade de vida. Algumas das espondiloartrites mais frequentes e seus sintomas:

• Espondilite Anquilosante afeta mais homens do que mulheres e geralmente se manifesta no início da fase adulta. Dor lombar que vai e volta, dor e rigidez matinal que melhoram com o movimento e pioram com repouso são alguns dos sintomas mais frequentes e que podem ser confundidos com dores por “mau jeito”, ou algum trauma – o que pode levar à demora do diagnóstico e inicio de tratamento.
• Uveite é uma doença inflamatória que pode comprometer a úvea ou uma de suas partes (íris, corpo ciliar e coroide). A inflamação pode atingir também o nervo ótico e a retina. Estima-se que seja responsável por 10 por cento dos casos de cegueira no mundo e pode estar presente junto com outras doenças reumáticas, como espondilite anquilosante, lúpus, artrite reumatoide.  Afeta ambos os sexos  e é mais comum em adultos jovens, mas  pode se manifestar do nascimento à velhice.
• Artrite Psoriásica também doença inflamatória, autoimune, que reúne a dor e o inchaço nas articulações da artrite e as lesões na pele da psoríase. Acomete homens e mulheres na mesma proporção e também é doença de adulto jovem, apesar de ocorrer em qualquer idade.

REPARE  é  gratuito e está disponível em ANDROID e IOS; foi desenvolvido com apoio da biofarmacêutica AbbVie.

A Sociedade Brasileira de Reumatologia  é uma associação civil científica, sem fins lucrativos, fundada em 1949 com o objetivo de promover o desenvolvimento científico e da especialidade no Brasil. Hoje, conta com cerca  de 2 mil associados, distribuídos em 24 sociedades regionais e mantem comissões científicas por áreas de especialidade, além de representações em associações nacionais e internacionais e junto ao Ministério da Saúde. É responsável pela certificação de especialistas em reumatologia, área médica que engloba mais de 120 diferentes doenças. Em 2018, a SBR recebeu da AMB – Associação Médica Brasileira certificado de boas práticas em gestão. Para mais informações, acesse www.reumatologia.com.br e siga suas páginas no Facebook e Twitter.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: